Siga o Boia

Receba atualizações do nosso blog.

Junte-se a 7 outros assinantes
Seguir
Categorias
Podcast

Boia 215

Lembra da história de Pedro e o Lobo, né?
De tanto mentir que tinha lobo no mato, ninguém acreditou na hora que Pedro viu um de verdade. Não é caso pra tanto, porque quando dizemos que um episódio do Boia é especial, não exageramos.
Klaus Mitteldorf é o lobo das estepes da fotografia. Poderia ser de surfe, mas seria por demais injusto. Klaus é fotógrafo de moda, de publicidade, de ensaios artísticos, de técnicas inéditas, de insaciável curiosidade. A mesma curiosidade que nos anos 70 levou esse germano-paulista longe, bem mais longe que a sua São Paulo natal para percorrer, prancha na capota, câmera na mochila e sonhos na cabeça, a misteriosa Rio-Santos numa época em que as aventuras existiam de verdade. Escute Klaus contando histórias inéditas do surfe dos anos 70, 80 e em diante, e fazendo um relato que você nunca ouviu sobre o Verão da Lata que, prestes a virar série, tem spoilers garantidos! E como se esse Boia já não tivesse viagem suficiente, de lambuja ainda tem Tito Rosemberg relatando suas experiências nos primeiros Burning Man.
O resto… o resto é Pedro, quer dizer, Julio Adler, João Valente e Bruno Bocayuva, falando que tem lobo na floresta.
Na trilha, Sou Mais Voce com os Racionais MCs (Klaus fez a foto da capa do disco!), What’s the Use do Mac Miller (Thundercat no baixo!) e o clássico da fossa e boêmia, Um Chope Pra Distrair do Paulo Diniz.

Klaus Mitteldorf

Terral

Primeiro filme de surfe do Brasil

Descoberta do Felix

Verão da Lata

Imagem Falada

Almanaque

Trilhas

8 respostas em “Boia 215”

Aqui Luciano.
Salve todos do boia, os três homens em conflito e os 13 desalmados – será que é a continuação da trilogia?
Sempre tem muito a comentar em cada episódio, mas passo aqui rápido só pra mencionar que o comentário de Tito sobre o evento em Nevada, assim como a imagem de Maui, apresentada por João (Boia 212) como uma área de experimentação, me remeteram à ideia de Zona Autônoma Temporária TAZ, desenvolvida em um livreto anarcoólico de mesmo nome e atribuída a um personagem chamado Hakim Bey.
E, já que revisitamos o episódio 212, não poderia deixar de manifestar minha satisfação – e pesar – ao ouvir sobre Sixto Rodriguez. Conheci através da Hardcore (talvez um comentário de Adler) e depois que descobri o filme…

Sim, mas afinal KD a imagem falada de Arembepe/Matão do episódio 213?

Bom, que a gente consiga ludibriar ela por muito mais tempo com aquele convite, não para uma partida de xadrez, mas para uma sessão de marolas em algum canto esquecido de praia – que sejam muitas!

Primeira vez que comento aqui então gostaria de começa agradecendo as indicações, opiniões e histórias incríveis que vocês compartilham conosco. Esse trabalho de curadoria e a visão critica a respeito de temas variados que vocês tem são ímpares. Muito obrigada!

Mas essa mensagem é mais pra indicar 2 coisas que acho que vocês vão gostar muito e tem relação com o episódio. São elas:

1) O ep de jazz do excelente rapper Denzel Curry. Ele foi convidado pelo estúdio do Jimi Hendrix, o Electric Lady, para faze uma releitura de suas músicas e acho que vocês podem gostar do resultado 🙂 https://open.spotify.com/intl-pt/album/29C15dlrrccQP32Cl60kjl?si=nhn1MjB3QLyw6C1U0VgOpA

2) A outra é um podcast que conta a história do primeiro julgamento de LSD no Brasil e o próprio Antonio Peticov, dos Mutantes, narra os acontecimentos. É espetacular! https://radioescafandro.com/2021/11/17/58-o-infame-julgamento-do-lsd/

Enfim, espero que gostem das duas indicações e quanto ao show do Thundercat será dia 05/11 em São Paulo. Ele vai abrir pro Kendrick Lamar

Mais um excelente episódio! Parabéns!
Esse bate-papo me fez lembrar do livro Almáquatica do Klaus e Sidão, e no livro há o autográfo do Sidão… relembrar é viver!!
A história do verão da lata é muito boa e agora com mais detalhes dados pelo Klaus!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *